06
Qui, Mai

Dom Luiz Antonio abre a Porta Santa na Catedral Basílica de São Bento

Notícias da Diocese

A cerimônia deu início oficial às atividades do Ano Jubilar na Diocese de Marília. “A misericórdia, que faz os cristãos comungarem na verdade, proporciona-lhes uma alegria constante”, salientou dom Luiz Antonio em sua homilia. No território diocesano, outras três igrejas receberão as peregrinações.

A Porta Santa da Catedral Basílica Menor de São Bento, em Marília (SP), foi aberta neste domingo, dia 13, durante cerimônia no início da manhã. A celebração, presidida por dom Luiz Antonio Cipolini, teve seu início na paróquia Santo Antônio e marcou, na diocese, o início das atividades do Ano Extraordinário da Misericórdia, proclamado pelo papa Francisco por meio da Bula Misericordiae Vultu (Rosto da Misericórdia).

Juntamente com os padres, diáconos e religiosos marilienses, a missa congregou aproximadamente 2 mil pessoas que se reuniram para lucrar as indulgências concedidas aos fiéis que, em estado de graça, passarem pela Porta da Misericórdia.

Não consegue visualizar as fotos? - clique aqui

Por ocasião do 3º Domingo do Advento, em sua homilia, o bispo diocesano ressaltou que a alegria religiosa trata-se da expressão da vida humana realizada no que ela tem de mais fundamental e, por isso, brota da harmonia interior em suas dimensões mais profundas. “A misericórdia, que faz os cristãos comungarem na verdade (cf. 1Cor 13, 6), proporciona-lhes uma alegria constante”, disse.

Dom Luiz Antonio ainda completou que Cristo é a alegria suprema de todos os católicos: “Jesus, o rosto da Misericórdia de Deus, explica o mistério da vida e abre para nós uma esperança definitiva”.

Após a comunhão, o clero e todo o povo seguiram em procissão pelas ruas de Marília até a catedral. “Esta é a porta do Senhor: por ela entramos para alcançar a misericórdia e o perdão”, exclamou o bispo diocesano ao abrir a Porta Santa na Basílica de São Bento.

Em seguida, todos os presentes adentraram a igreja. Dom Osvaldo Giuntini, bispo emérito, também participou da cerimônia.

ANO JUBILAR

Entre os católicos, a tradição de celebrar o Ano Santo tem seu início com o papa Bonifácio VIII, em 1300. Assim, para que ao menos uma vez na vida cada fiel possa comemorá-lo, a partir de 1475 determinou-se um jubileu ordinário a cada 25 anos.

Ao longo da história aconteceram 26 Anos Santos ordinários e, com este Ano Jubilar da Misericórdia, três extraordinários.

Em síntese, o jubileu consiste na possibilidade dos devotos lucrarem indulgência plenária (remissão total das penas temporais cabíveis para pecados cometidos que a Igreja concede após terem sido perdoados). Porém, esta indulgência implica obras penitenciais; neste caso, peregrinações às portas santas.

REGIÕES PASTORAIS

Para o favorecimento da participação dos devotos no Jubileu Extraordinário, além da Porta da Misericórdia na catedral São Bento, dom Luiz estabeleceu mais três locais de peregrinação.

Na noite do domingo, para os fiéis da região pastoral I, a Porta foi aberta no Santuário Interdiocesano Sagrado Coração de Jesus de Vera Cruz (SP). A missa reuniu cerca de mil peregrinos.

Não consegue visualizar as fotos? - clique aqui

Na região II, a cerimônia acontecerá no próximo dia 20, às 9h, na Paróquia São Pedro Apóstolo de Tupã (SP). E, para os fieis da região pastoral III, a abertura da Porta Santa acontecerá em Dracena (SP), na paróquia Nossa Senhora da Conceição Aparecida no dia 27, às 9h30.

EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT
clique para baixar
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade”
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade” é lançada pelo papa
Área de arquivos
Materiais disponibilizados pela Diocese e pelas pastorais

capa267