24
Seg, Fev

Católicos de Irapuru celebram padroeira Santa Genoveva

Região III

04No dia 3 de janeiro, a cidade de Irapuru comemorou o dia de sua padroeira Santa Genoveva. Os festejos foram iniciados pela Celebração da Santa Missa, presidida pelo padre Marcos Roberto Cesário da Silva, que atua como vigário paroquial em Junqueirópolis, e concelebrada pelo Padre Milton Afonso do Nascimento, pároco em Monte Castelo e São João do Pau D’Alho.

Houve também a presença do Diácono Luiz Henrique e do seminarista Danilo Cordeiro, ambos de Junqueirópolis. Na procissão de entrada, os coordenadores das pastorais, equipes, movimentos e grupos de nossa comunidade conduziram uma pequena imagem de Santa Genoveva, que foi apresentada a todos os presentes. A imagem de maior tamanho e, o único modelo de que se tem notícia no mundo, já estava enfeitada e em lugar de destaque na celebração.

Nos ritos iniciais, Pe. Marcos lembrou que se fazia um ano da inauguração do novo templo, da qual pôde estar presente como seminarista. O sacerdote também lembrou que a igreja foi construída com o suor, esforço e dedicação de todos os fiéis católicos de nossa comunidade.

 A homilia foi proferida pelo Pe. Milton, que convocou todos os irapuruenses a imitar a vida de Santa Genoveva e viver seu grande exemplo de santidade na família e na sociedade, pois, de acordo com suas próprias palavras, “não é impossível ser santo”. Ao final, Pe. Marcos exortou os presentes a rezarem uma Ave Maria em intenção à comunidade e ao novo pároco, Pe. Adriano dos Santos Andrade, para que ele tenha um ministério e fecundo em nossa paróquia. Abaixo, um pequeno relato da vida de nossa grande e santa padroeira Genoveva.010305

Santa Genoveva nasceu em Nanterre, França, por volta do ano 420. Já aos seis anos de idade, perante o bispo São Germano de Auxerre, prometeu abraçar a vida religiosa. Com quinze anos, fez o voto de virgindade, entregando, assim plenamente, a sua vida a Deus. Depois da morte de seus pais, Santa Genoveva foi viver na cidade de Paris, junto com a madrinha. Foi nesse período que algumas de muitas manifestações extraordinárias começaram a acontecer: Santa Genoveva conseguia ler nas mentes e acalmar os possessos. Eram anos de grande turbulência na França e Santa Genoveva não ficou à margem dos acontecimentos, entrando no meio político de seu país. Com vida disciplinada de oração, jejum e penitencia, impediu a fuga dos parisienses, diante da ameaça de Átila, o huno, conseguindo, assim, que a cidade de Paris não fosse sucumbida pela iminente invasão. Tendo sua santa existência entregue aos doentes, aos famintos e marcada pela humildade, Santa Genoveva é a protetora de Paris e também da cidade de Irapuru, além de ser invocada contra as tempestades e epidemias. Santa Genoveva, rogai por nós!