15
Ter, Out
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT
clique para baixar
Guia Pastoral Diocesano 2019
Clique aqui para baixar

Diocese participa do XIV Congresso Nacional da Pastoral Familiar

Familiar

congresso-familiarRepresentada pelo Casal Coordenador Diocesano da Pastoral Familiar Jaime Piassa e Rogéria Tucunduva Piassa, a Diocese de Marília esteve presente no XIV Congresso Nacional da Pastoral Familiar em São Luís, Estado do Maranhão.

O evento, que contou com a participação de aproximadamente 1.000 pessoas de todo o Brasil foi realizado no Centro de Eventos Governador Pedro Neiva de Santana teve início dia 26 de Setembro às 17h30 e seu término domingo dia 28 de Setembro às 13h.

O tema do congresso foi: "Família, Transmissora da Fé" e o Lema: "Anunciai o Evangelho com Ousadia e Coragem."

A programação foi bastante extensa e rica em conteúdos. Após a composição da mesa, Dom José Belisário da Silva, Arcebispo de São Luís e Vice Presidente da CNBB, acolheu a todos. Em seguida tivemos a palavra do Casal Coordenador Nacional da Pastoral Familiar de Cuiabá, Roque e Verônica, e a palavra do Presidente da Comissão Nacional para a Vida e Família, Dom João Carlos Petrini, Bispo de Camaçari.

As palestras foram as seguintes: o casal Raimundo Leal Moraes e Vera Moraes (Tico e Vera – casal ex-coordenador Nacional) desenvolveram o Tema: "Família, Transmissora da Fé". Tico e Vera ressaltaram que o tamanho de Deus para nós depende da nossa proximidade com ele.

Os professores Gilberto Cafezeiro Bonfim (biólogo) e Marcelo Couto Dias – Professor da Universidade Católica de Salvador falaram sobre os temas: "Família recurso para a sociedade" e "Família e Políticas Familiares".

O ECC (Encontro de Casais com Cristo), o EMM (Encontro Matrimonial Mundial) e as ENS (Equipes de Nossa Senhora) apresentaram sua estruturas e estimularam os participantes ao engajamento pastoral.

Padre Rafael Fornasier – Assessor Nacional da Pastoral Familiar falou sobre o tema "Vida e Família" e Lorimar Azevedo – Pedagoga, sobre o INAPAF (Instituto Nacional da Pastoral Familiar).

Sobre o "Sínodo da Família 2015 – Preparação para a vida Matrimonial" o Padre Rafael Solano ressaltou três perspectivas para as família: fidelidade, perseverança e fecundidade. "Hoje os casais preferem ter dois cães ou dois gatos do que terem filhos" disse Padre Rafael. É preciso decidir como dar um passo para o matrimônio buscando a fidelidade e a perseverança.

O Casal Dr. Mourão Gurgel Cavalcante – Psiquiatra, professor em universidades na Bélgica e Terapeuta de Famílias e a Sra. Zilmar Cavalcante, Psicóloga, atraíram a atenção e descontraíram a todos. Com o Tema: "Diálogo com os Filhos na Cultura Atual". Disse Dr. Mourão: "é preciso respeitar as singularidades na família. É preciso crescer através do sofrimento. Casado há 38 anos disse que tiveram 38 anos de um bom "desentendimento". Buscar o pai de antigamente não vai dar certo. Vivemos um novo tempo. Os filhos não precisam somente de pais. Precisam ver como funcionam os homens e as mulheres (exemplos), disse Dr. Mourão.

No sábado à noite aconteceu uma apresentação cultural com danças típicas da região, como o Bumba Meu Boi e outras danças folclóricas.

No domingo o lema do congresso: "Anunciai o Evangelho com ousadia e coragem" foi desenvolvido por Dom Jaime Spengler. Dom Jaime ressaltou que devemos fazer, em Cristo, nossa experiência de fé: "Nele eu vivo". Nele me movo". "Nele existimos". "A fé não pode ser imposta", disse Dom Jaime fazendo referência a atual situação que passam os cristãos no Iraque com os extremistas do Estado Islâmico. Aprender pressupõe orar. Dispor-se ao diálogo com Jesus. Dom Jaime relatou alguns desafios para a família: nosso povo conhece pouco as Sagradas Escrituras, pouca consciência e frequências aos Mistérios (Eucaristia), ausência do autêntico exercício do amor, do verdadeiro escutar aquele que pensa diferente de mim.

A Dra. Márcia Maia – Promotora da Infância e Juventude do Maranhão, falou sobre "Paternidade e Maternidade: Direitos e Deveres". Dra. Márcia disse que a família não é uma democracia porque são os adultos (pais) quem assumem as responsabilidades do ponto de vista civil. "A Lei da Palmada (13.010) não desautoriza os pais a corrigirem seus filhos. Ela apenas coíbe castigos que causem sofrimentos físicos ou vexatórios", acrescentou.

Por fim, Dom João Carlos Petrini encerrou as atividades do congresso desenvolvendo o tema: "Os desafios que fragilizam e passos que consolidam a relação familiar". "Hoje em dia muita gente vive pela metade, disse. O aluno na sala de aula distraído com seu IPhone, o professor sem criatividade, um médico que só assina o ponto sem usar toda sua capacidade, pais, mães, esposos pela metade. Dom Petrini disse que famílias novas, famílias que pertencem à Pastoral Familiar, são famílias que absorvem os valores familiares e o vínculo conjugal. Dom Petrini relatou alguns desafios para consolidar a família: o mundo do trabalho do homem e da mulher que trabalham fora, saem cedo e voltam à noite, as Associações de Família contribuem nesta consolidação, a maior parte das famílias mantem valores contraditórios, na cultura atual prevalece a lógica do mercado: investi muito naquele relacionamento. É preciso valorizar a abertura à vida e gerar filhos, concluiu Dom Petrini.

Ao final do XIV Congresso foi feito o anúncio da cidade que sediará o XV Congresso Nacional da Pastoral Familiar: será na cidade Cuiabá em Setembro de 2017.