15
Dom, Dez
Novena de Natal 2019
Clique aqui para baixar
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT
clique para baixar
Guia Pastoral Diocesano 2019
Clique aqui para baixar

Diocese de Bauru realizará grande festa pelo seu Jubileu de Ouro

Sul 1 e Sub-Região de Botucatu

diocesebaurujubileuEm comemoração de seu Jubileu de Ouro a Diocese de Bauru elaborou uma extensa programação com a presença do representante do Vaticano no Brasil, o Núncio Apostólico Dom Giovani D'Aniello.

A grande celebração será no dia 18 de Maio, domingo, no Estádio Alfredo de Castilho a partir das 14 h. Neste dia haverá a Santa Missa celebrada por Dom Giovani às 16 h e logo após um show de evangelização com o Padre Reginaldo Manzoti.

A Diocese de Bauru convida a todos há participarem deste momento de louvor e agradecimento pelos 50 anos da Diocese de Bauru.

Veja o video/convite:

Histórico

A Diocese de Bauru foi criada no dia 15 de fevereiro de 1964, mediante a Bula Christi Gregis, do papa Paulo VI. A instalação definitiva ocorreu no dia 17 de maio de 1964, quando tomou posse seu primeiro bispo, Dom Vicente Zioni.

As comemorações dos 50 anos de sua criação, em maio de 2014, são precedidas de um tríduo preparatório nos anos de 2011, 2012 e 2013, envolvendo suas 41 paróquias em 14 municípios.

Jubileu de Ouro

Jubileu significa júbilo; alegria não apenas interior, mas que se manifesta exteriormente. Em hebraico, jubileu quer dizer "Toque da trombeta de Deus", convocando para uma grande celebração festiva.

Celebrar o Jubileu de Ouro é importante para agradecer os dons de Deus nessa caminhada de 50 anos, relembrar aqueles que aqui plantaram a Igreja, fortalecer a comunhão e a participação hoje e deixar um exemplo de vida cristã às gerações futuras.

Em sintonia com o tema "O Espírito Santo nos conduz", as festividades pelo Jubileu de Ouro da Diocese de Bauru querem fortalecer a fé em seu padroeiro e reavivar suas comunidades.

Já o lema "Tirem do tesouro coisas novas e velhas" (Mt 13,52), é inspirado na missão e inovação na continuidade, atendendo as exigências e urgências da evangelização. Lembra a responsabilidade de manter os frutos dessa trajetória de 50 anos e buscar novo ardor missionário, pois a Igreja é uma realidade sempre em movimento.