19
Ter, Nov
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT
clique para baixar
Guia Pastoral Diocesano 2019
Clique aqui para baixar

Sínodo para a Amazônia

Mensagens do Bispo

Texto de Dom Luiz Antonio Cipolini publicado no jornal diocesano "No Meio de Nós" de outubro de 2019

O Sínodo para a Amazônia foi anunciado pelo Papa Francisco em 15 de outubro de 2017, na raça de São Pedro, em Roma. Neste dia, em que foram declarados santos os 30 mártires de Cunhaú e Uruaçu, do Rio Grande do Norte, o Papa Francisco, dirigindo-se à multidão, disse: “Acolhendo o desejo de algumas Conferências Episcopais da América Latina, assim como a voz de diversos pastores e fiéis de outras partes do mundo, decidi convocar uma Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a região pan-amazônica, que terá lugar em Roma no mês de outubro de 2019. A finalidade principal dessa convocação é encontrar novos caminhos para a evangelização daquela porção do Povo de Deus, sobretudo dos indígenas, muitas vezes esquecidos e sem perspectiva de um futuro sereno, também por causa da crise da floresta Amazônica, pulmão de importância fundamental para o nosso planeta”.

O Sínodo realiza-se em Roma e será momento especial neste mês missionário extraordinário. O Conselho Pré-Sinodal elaborou o tema do Sínodo nestes termos: “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”. O Sínodo está em consonância com a recomendação do Concílio Vaticano II no Decreto Ad Gentes, onde lemos: “Enviada por Deus às nações pra ser o sacramento universal de salvação, esforça-se a Igreja por anunciar o Evangelho a todos os homens. Faz isso a partir da exigência íntima da própria catolicidade e em obediência à ordem de seu fundador. Os próprios apóstolos, nos quais está fundada a Igreja, seguindo o exemplo de Cristo, pregaram o Verbo da verdade e geraram Igrejas” (AG 1).

Os documentos do Concílio Vaticano II deram peso cada vez maior ao conceito de inculturação, segundo o qual é preciso que a fé cristã se insira de forma orgânica nas novas culturas que a recebem. Ou seja, em vez de simplesmente substituir as culturas indígenas com a tradição cultural europeia no processo de conversão religiosa, a ideia de inculturação propõe que os aspectos essenciais do cristianismo sejam traduzidos de modo que façam sentido dentro da sociedade nativa. Já em 2007, quando esteve no Brasil, o então Papa Bento XVI, em discurso para os jovens no Estádio do Pacaembu, chamou-lhes a atenção sobre a “devastação ambiental da Amazônia e as ameaças à dignidade de seus povos” e pediu aos jovens “um maior compromisso nos mais diversos espaços de ação”. Acompanhemos o desenrolar das atividades sinodais com nossas orações e peçamos a Nossa Senhora de Nazaré, Rainha da Amazônia, que interceda pela Igreja da Amazônia com seus povos, mas também por toda a Igreja universal, na fidelidade ao anúncio do Evangelho!

capa254