13
Qua, Nov
EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT
clique para baixar
Guia Pastoral Diocesano 2019
Clique aqui para baixar

“Este pobre grita e o Senhor o escuta” (Sl 34,7)

Mensagens do Bispo

Texto de Dom Luiz Antonio Cipolini publicado no jornal diocesano "No Meio de Nós" de novembro de 2018

O nosso Deus ouve o grito do pobre e responde ao seu clamor. Essa resposta aconteceu durante toda a caminhada do povo, nos diferentes períodos de sua história. Como nos diz o Papa Francisco: “A resposta de Deus ao pobre é sempre uma intervenção de salvação para cuidar das feridas da alma e do corpo, para repor a justiça e para ajudar a recuperar uma vida com dignidade”.

A vida é o bem fundamental e básico em relação a todos os demais bens e valores da pessoa. É uma realidade que existe independente da vontade humana. A vida sempre tem valor, em qualquer situação que se encontre. Na parábola do bom samaritano está claramente apresentada a urgência de ir ao encontro de quem precisa. Próximo não é somente aquele que sofre ao meu lado, mas é aquele de quem me aproximo porque sua dor me move a ajudá-lo.

As pessoas reconheciam em Jesus alguém que poderia lhes ajudar, e recorriam a Ele. Jesus, por sua vez, enchia-se de compaixão e agia em favor do povo. Jesus, referência maior de nossa fé, nos ensina a construir o Reino de Deus. Reino que é para ser vivido já, num mundo onde reine o amor. Amor este que é incondicional e que pode ser traduzido de muitas formas e que precisa ser expresso em atitudes.

Da atenção ao outro nasce o compromisso de solidariedade. Será que os pobres de hoje reconhecem em nós, cristãos, este alguém que ajuda? Como tem sido as práticas em nossa comunidade e nossas práticas pessoais? Com as palavras do salmista: “Este pobre grita e o Senhor escuta” (Sl 34,7), queremos convidar todos os cristãos e as pessoas de boa vontade para a realização da Semana da Solidariedade – Jornada Mundial dos Pobres.

Estamos convidando a todos para que, dos dias 11 a 18 de novembro, realizemos em nossas igrejas, comunidades, pastorais, ruas e locais de vivência das pessoas empobrecidas, gestos concretos de solidariedade e acolhida com as pessoas em situação de vulnerabilidade extremas. Vamos expressar nossa capacidade de sermos uma só comunidade: solidária, acolhedora, amorosa e cuidadora da vida.

A pessoa que sabe cuidar está atenta às necessidades dos outros, se faz próxima deles. Faça algum gesto de defesa da vida: cuidar de alguém, visitar os idosos, conversar e animar quem está sofrendo... Tente responder: O que posso fazer para cuidar mais da vida?

capa254