22
Seg, Abr

À procura da Igreja perfeita... (continuação)

Mensagens do Bispo

Texto de Dom Luiz Antonio Cipolini publicado no jornal diocesano "No Meio de Nós" de agosto de 2018

(Continuação da edição anterior).

— Já perguntei também ao Apóstolo Pedro para ver se ele podia indicar uma comunidade perfeita, onde eu me sentisse bem. Mas ele disse que, também nas comunidades que ele acompanha, as coisas não são perfeitas. Há gente que continua a seguir as paixões mundanas e carnais, há divisões e continuam os mesmos vícios dos pagãos (Cf. 1Pd 2,1-11). É verdade, e conheço isso também nas minhas comunidades. Para alguns, está difícil entender que a fé cristã não tem seu fundamento nos pregadores, mas em Cristo, único fundamento da fé e da vida cristã (Cf. 1Cor 3 e 4).

— Sabe, Paulo, já pensei até em me mudar para a Igreja-mãe de Jerusalém, mas me disseram que há muita gente preconceituosa por lá (Cf. Gl 2,12-13), além de murmuradores (Cf. At 6,1) e alguns até mentem aos ministros, buscando lugar de destaque na comunidade (Cf. At 5,1-11). Falei também com Tiago e me informei sobre as comunidades que ele acompanha. É tudo a mesma coisa: lá há brigas feias (Cf. Tg 4), gente de língua afi ada, falando mal dos outros (Cf. Tg 3) e até discriminação dos pobres durante as celebrações da comunidade (Cf. Tg 2). E agora, como faço, Paulo?

— Caríssimo irmão, você precisa entender uma coisa: que não existe Igreja perfeita neste mundo, pois ela é formada por seres humanos. Há joio no meio do trigo e Jesus sabia que seria assim. Mas não quis que se arrancasse o joio, enquanto era tempo de crescimento. Ele disse que isso vai acontecer só no julgamento final. Até lá, Deus tem paciência e dá tempo para que o joio se converta e o trigo mostre sua fortaleza e não vire joio também. Você precisa entender que Deus nos chamou à Igreja não porque já somos perfeitos, mas para que, com sua graça, fôssemos crescendo em perfeição ao longo de toda a vida. Entre os irmãos de sua comunidade, há muitos que são bons e generosos, estão crescendo em santidade e se tornando trigo maduro para Deus. Outros precisam ainda ser ajudados e têm muito pela frente. A Igreja perfeita não é deste mundo, mas estamos a caminho, para participar da assembleia dos santos de Deus, que estão nos céu (Cf. Hb 12,23).

— Meu irmão — continuou o Apóstolo Paulo — o conselho que lhe dou é que você desista de procurar uma Igreja perfeita para você participar. Seja você alguém que ajuda sua Igreja a se aperfeiçoar, com a graça de Deus e vivendo a caridade. Fique com a Igreja que tem líderes verdadeiros, que estejam firmados na sã doutrina, mesmo se eles também não são perfeitos. Não deixe de participar da sua comunidade (Cf. Hb 10,25) e abandone essa mentalidade de cliente, que vai atrás da loja mais simpática, mais barata ou que faz mais propaganda. Coloque-se à disposição de Deus para ser um membro vivo e participativo na edificação do Corpo de Cristo para a salvação de muitos e para a glória de Deus (Cf. Ef 4,1-16). Seja sal da terra e luz do mundo!

— Entendo, isso é verdade! Obrigado, Paulo. Me ajudou a compreender melhor também que, quando vamos à Igreja, não vamos pensando logo no ministro que preside a celebração, reparando nos defeitos dos outros, ou julgando se gostamos disso ou daquilo. A gente vai à Igreja para prestar culto a Deus e para aprender a servir aos irmãos, não para tirar uma satisfação pessoal. A comunidade eclesial é o lugar de oferecermos um culto agradável a Deus. Obrigado, Paulo!

EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT
clique para baixar
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade”
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade” é lançada pelo papa
Área de arquivos
Materiais disponibilizados pela Diocese e pelas pastorais

capa248