19
Seg, Abr

Ordenação Diaconal do Seminarista Diego Luiz Carvalho de Souza

Mensagens do Bispo

SOLENIDADE DA IMACULADA CONCEIÇÃO – PACAEMBU – 08/12/2014

Minha saudação carinhosa a Dom Osvaldo Giuntini, a todos os padres, diáconos, religiosos e religiosas. Saúdo ao seminarista Diego, seus familiares e amigos, vindos de várias cidades da diocese e também de outras dioceses. Saúdo ao Pe. Wagner, a Comunidade Paroquial Nossa Senhora das Graças, que nos acolhe, e aos seminaristas e vocacionados aqui presentes. Amados irmãos e irmãs:

O dogma da Imaculada Conceição foi proclamado pelo papa Pio IX em 1854. Vejamos qual é a mensagem desse dogma, a respeito de Maria e de cada um de nós. Existe algo em nossa história que estraga os belos projetos do Senhor, algo que não vem de Deus. É difícil localizar sua origem, nós o chamamos de mistério do mal e da iniqüidade. Ele está espalhado na humanidade e repercute dentro de cada pessoa. Damos a ele o nome de "Pecado Original".

Os impulsos do poder, do ter e do prazer e tantos outros puxam o ser humano, cada um para o seu lado, e o afasta de Deus. A teologia chamou essa divisão interna de "concupiscência". Sabemos que a liberdade humana está comprometida pelo pecado e precisa ser libertada. São Paulo lembra essa divisão interna que nós vivemos, dizendo que muitas vezes nosso coração quer fazer o bem, mas acabamos fazendo o mal que não desejamos (Rm 7,14-24). Mas nós cremos na vitória da graça de Jesus Cristo, que nos liberta de todas as cadeias (Rm 5,8; 8,1-4). A graça original de Deus, é dom oferecido desde a criação, como nos diz a primeira leitura, do livro do Gênesis (Gn 3,9-15.20), a graça nos cria e nos salva. A graça original é mais importante e mais forte do que o pecado original.

O dogma da Imaculada Conceição, afirma que o segredo de Maria, a perfeita discípula de Jesus, que respondeu a Deus de maneira total, tem sua raiz na graça. Ela recebe do Senhor um dom especial. Nasce mais integrada do que nós, com mais capacidade de ser livre e acolher a proposta divina. O fato de Maria ser Imaculada não lhe tira o esforço de ser peregrina na fé, pois isso faz parte da sua situação de ser humano, que necessita crescer e aprender. Também a Virgem Maria, no início, não entendia tudo (Lc 2,49-50). No evangelho que acabamos de ouvir, o anjo Gabriel, enviado de Deus, começa com uma simples saudação: "Alegre-se, Maria" (Lc 1,28). Convida Maria a participar da alegria do novo tempo, que tem início com a vinda de Jesus (Lc 1,14.44.58; 2,10). Lucas destaca a alegria como sinal de Jesus e de seus seguidores. Maria também é convidada a se alegrar.

Depois Maria recebe um nome especial, que não é dado a mais ninguém na Sagrada Escritura: "cheia de graça", ou "agraciada" (Lc 1,28). A seguir, diz-se "o Senhor está contigo". Na Bíblia, quando a pessoa tem uma missão importante e difícil, recebe de Deus a promessa de que não estará sozinha, pois ele vai lhe dar força. Assim também acontece com Maria. O anjo Gabriel anuncia que nascerá uma criança importante, que salvará o povo. Maria pergunta: "Como se fará isso, pois não conheço homem" (Lc 1,34), e Deus lhe oferece um sinal: "Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível" (Lc 1,36).

Diante da proposta de Deus, Maria responde prontamente. O seu "sim" ecoa forte e sem dúvidas, cheio de generosidade, toda disponível a Deus. Maria une a liberdade com a vontade: "Eis aqui a servidora do Senhor: Faça-se em mim segundo a vossa palavra" (Lc 1,38). Essa entrega do coração a Deus tem um nome muito simples: fé. Quer dizer: arriscar-se e jogar-se nas mãos do Senhor com confiança. Maria não somente ouviu, mas acolheu a palavra de Deus no seu coração. Deixou Deus entrar na sua vida. Saiu de si mesma e investiu sua vida no grande projeto de Deus, a que se sentiu chamada. O evangelho da anunciação não só prepara o nascimento de Jesus, mas também mostra a vocação de Maria e sua resposta generosa.

A exemplo de Maria, nós também recebemos um apelo divino. Cada um de nós lembra alguma ocasião na vida, na qual Deus nos tocou de forma especial. Um retiro, um encontro, conhecer uma pessoa, conseguir uma vitória almejada, superar o sofrimento... Qualquer situação na qual sentimos que Deus nos comunicou algo novo, original, forte, que mudou para melhor nosso caminho de vida. A exemplo de Maria, também o seminarista Diego recebeu um chamado e, hoje, vai ouvir estas palavras: Diego, na "condição de Diácono, isto é, de ministro de Jesus Cristo, que se manifestou como servidor dos seus discípulos, cumpri generosamente a sua vontade, e, na caridade, servi com alegria tanto a Deus como aos seres humanos. Sendo impossível servir a dois senhores, lembra-te de que toda impureza ou avareza é sujeição aos ídolos".

A anunciação a Maria nos lembra que somos também agraciados por Deus, que ele está conosco, que nos chama a ficar alegres na sua presença. A vocação de Maria é como um espelho para nós. Olhando para ela, a gente se vê melhor. Deus fez em Maria uma criatura humana do jeito que ele sonhou para todos. Uma pessoa que não se contaminou pelo egoísmo, pelo comodismo, pelo orgulho, pela ilusão do poder. Maria desenvolveu ao máximo tudo o que recebeu de Deus. Ela é imagem do ser humano inteiro, maduro, feliz, capaz de amar e ser amado, realizado.

Caros irmãos e irmãs, nós não somos imaculados. Temos pecados que atrapalham a nossa vida. Mas cada um recebe a graça e a benção de Deus, para ser uma nova criatura: "Ele nos abençoou com toda sorte de benção do seu Espírito... Em Cristo, Deus nos escolheu, antes da fundação do mundo, para que sejamos santos e irrepreensíveis sob seu olhar, no amor" (Ef 1,3-4). O dogma da Imaculada nos diz algo sobre Maria e sobre cada um de nós. Confirma que ela é uma criatura especial, que alimenta em nós a esperança na vitória da graça de Deus, sobre o mal e o pecado.

O "sim" de Maria foi dado em total atitude de fé e obediência ao plano de Deus. Por meio de Maria sabemos que a fidelidade ao plano de Deus é possível. A pureza de Maria Imaculada nada mais é do que a transparência à vontade de Deus. Vamos rezar com Maria: "O Senhor fez em mim(nós) maravilhas/ santo é o seu nome"

Amém!

EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT
clique para baixar
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade”
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade” é lançada pelo papa
Área de arquivos
Materiais disponibilizados pela Diocese e pelas pastorais

capa266