17
Sab, Abr

Ascensão do Senhor

Padres e seminaristas

No dia 05 de junho celebramos a Solenidade da Ascensão do Senhor. Qual o sentido desta festa para nós cristãos?

Em resumo, podemos dizer que a festa da “Ascensão do Senhor” é a proclamação da glorificação de Jesus Cristo, Filho de Deus, que nos deixou a missão de continuar sua obra, sendo suas testemunhas em todo o mundo. Diante da grandeza da “realidade teológica” da “ascensão”, diversas imagens nos são apresentada: “subir” aos céus (daí vem a expressão “ascensão”), sentar-se à direita de Deus (partilhar da mesma dignidade do Pai), colocar tudo a seus pés (senhorio de Jesus), ser encoberto por uma nuvem (sinal da manifestação de Deus e do mistério) etc.

Na profissão de fé, afirmamos em relação a Jesus: “Ressuscitou ao terceiro dia, subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai Todo-Poderoso”, ou seja, Jesus ressuscitado está “na glória de Deus”, “ao lado” (à direita) do Pai, partilhando de sua divindade e eternidade. O Evangelho de Mateus afirma que toda autoridade lhe foi dada no céu e sobre a terra (Mt 29,18) – ele é o Senhor glorificado. Deus “o ressuscitou dos mortos e o fez sentar-se à sua direita no céu [...] pôs tudo sob seus pés e fez dele, que está acima de tudo, a cabeça da Igreja, que é seu corpo, a plenitude daquele que possui a plenitude universal” (Ef 1,22).

Nós todos participamos desta vitória de Jesus, pois, como diz a Oração Coleta da missa: “a ascensão do vosso filho já é nossa vitória”.  Ele, a Cabeça da Igreja, torna todo o Corpo vitorioso.

“Uma nuvem o encobriu, de forma que seus olhos (dos apóstolos) não podiam mais vê-lo” (At 1,9). O mistério da vida de Jesus participa plena e definitivamente do mistério de Deus. Ele já não mais pode ser “visto”, como nos tempos em que andava com seus discípulos, mas continua no meio de nós de outra maneira – “Eis que eu estarei convosco todos os dias, até o fim do mundo” (Mt 28,20). Sua presença agora pode ser “vista” (sentida, vivenciada), através do Espírito Santo, na vida da comunidade que testemunha a sua mensagem de salvação.

“Recebereis o poder do Espírito Santo, que descerá sobre vós para serdes minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e na Samaria, até os confins da terra” (em todo o mundo) (At 1,8) – ou como afirma o Evangelho: “ide e fazei discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo e ensinando-os a observar tudo o que vos ordenei” (Mt 28, 19-20).

Diante do compromisso com o testemunho, não podemos ficar “parados, olhando para o céu” (At 1, 11), cruzando os braços, esperando que Deus resolva nossos problemas ou aguardando passivamente a “volta do Senhor”. É hora de olhar para a terra, para a realidade que está ao nosso redor, para o lugar do testemunho do ressuscitado [diz o Concílio Vaticano II (GS) que não se comprometer com a realidade deste mundo significa colocar em risco nossa própria salvação]. Terminada a missão “terrena” de Jesus se inicia a missão da Igreja, que consiste no testemunho do Senhor “até que ele volte”.

“Esse Jesus, que vos foi elevado para o céu, virá do mesmo modo como o vistes partir para o céu” (At 1, 11). Mas quando o Senhor virá?

O Senhor “já” veio e “continua” vindo até nós. Ele já veio ao nosso encontro através do Espírito Santo, que garante sua presença em nosso meio. Ele vem ao nosso encontro, presente em cada pessoa humana (prefácio do Advento), especialmente nos pobres. Ele está no meio de nós, presente na vida da comunidade cristã, onde dois ou mais “estiverem reunidos” em seu nome (Mt 18,20). À medida que testemunhamos seu Evangelho Sua presença em nosso meio se torna mais clara e conduz o mundo à plenitude, ao encontro definitivo (pessoal e de todo o Universo) com Deus, quando Ele será “tudo em todos” (1Cor 15,28).

Portanto, a festa a Ascensão não significa a “partida de Jesus para sempre”, abandonando seus amigos, mas revela uma maneira diferente de Ele se fazer presente em nosso meio. Sua presença agora é manifestada através do nosso testemunho, da prática da justiça, do serviço ao próximo, do anúncio do Evangelho e do Reino de Deus.

Na Solenidade da Ascensão do Senhor também celebramos o Dia Mundial das Comunicações, pois a missão da Igreja consiste em comunicar o Evangelho a todas as pessoas, em todos os tempos, lugares e meios, inclusive na “era digital”.

EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT
clique para baixar
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade”
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade” é lançada pelo papa
Área de arquivos
Materiais disponibilizados pela Diocese e pelas pastorais

capa266