27
Dom, Set

Análise narrativa dos textos bíblicos

Padres e seminaristas

A Bíblia, Palavra de Deus, revela-se uma inesgotável fonte de alimento para a caminhada cristã. Afirma a Segunda Carta a Timóteo (3,16-17): “Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para instruir, para refutar, para corrigir, para educar na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito, qualificado para toda boa obra”. Juntamente com o salmista (Sl 119, 105), podemos professar: “Tua palavra é lâmpada para os meus pés, e luz para meu caminho”.

Durantes séculos têm-se pregado e refletido sobre a Palavra de Deus e muitas “novidades” foram descobertas. Em cada época, leu-se a Bíblia com os instrumentos que se tinha à disposição. Os Padres da Igreja fizeram uso de imagens alegóricas e tipológicas para afirmar a centralidade de Cristo em toda a História da Salvação. Assim, a passagem pelo mar vermelho se torna imagem do batismo cristão, o sacrifício (não concretizado) de Isaac imagem do sacrifício de Cristo. Com o passar do tempo, surgiram estudos, pesquisas e novas descobertas. Foram identificados diferentes gêneros literários na Bíblia. O método histórico-crítico ajudou a compreender o texto em seu contexto. Enfatizou-se um tipo de leitura psicológica, sociológica e libertadora da Escritura, entre tantos outros enfoques. Enfim, cada método de leitura e interpretação da Palavra de Deus tem ajudado a compreendê-la melhor. Certamente nenhum pode ser absolutizado e isolado dos demais.

Recentemente, tem-se redescoberto a importância dos textos bíblicos como narrativas (também como teologia narrativa). Há uma riqueza intrínseca ao texto como obra literária, por vezes muito bem elaborada.

Embora a Análise Narrativa não surgiu entre os biblistas, o interesse pelo aspecto literário tem ocupado o trabalho de alguns estudiosos dos textos sagrados. A narratologia moderna, elaborada por linguistas e especialistas em literatura durante o século XX, passou a ser aplicada primeiramente aos textos da Bíblia hebraica e depois também ao Novo Testamento. Nos anos 70 surgiram os primeiros trabalhos neste sentido, recebendo atenção de outros estudiosos posteriormente.

Sem desprezar os demais métodos, a Análise Narrativa faz dialogar os textos bíblicos com a realidade em que o leitor se encontra mergulhado. Estuda os textos bíblicos a partir de seus elementos narrativos, encontrando uma mensagem para o leitor atual. Chama a atenção sobre aos efeitos que o texto produz no leitor e o leva a tomar parte ativa na narrativa.

Gostaria de convidar o leitor deste artigo a aventurar-se nesta maravilhosa leitura bíblica, partilhando um artigo que escrevi para a Revista Atualização, da Congregação dos Missionários Sacramentinos de Nossa Senhora. O texto, em PDF, fruto de um trabalho em uma das disciplinas de pós-graduação em teologia, é uma análise narrativa de 1Sm 17,1-18,5 (a luta entre Davi e Golias). Após uma apresentação geral da perícope (passagem bíblica), através dos quatro momentos da trama narrativa (exposição, ação, clímax e desfecho), será realizada uma análise dos personagens a partir de sua relação com Davi, personagem principal. Algumas conclusões serão tiradas do episódio estudado, mas muitas outras poderão ser descobertas. Para ler o texto, clique aqui

Aconselho o leitor, antes de tudo, a fazer uma leitura do texto bíblico citado e, somente depois, realizar a leitura do artigo.

Boa leitura!

EXORTAÇÃO APOSTÓLICA PÓS-SINODAL CHRISTUS VIVIT
clique para baixar
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade”
Exortação Apostólica “Gaudete et Exsultate: chamado à santidade” é lançada pelo papa
Área de arquivos
Materiais disponibilizados pela Diocese e pelas pastorais

capa263